Blog

Conheça as doenças mais comuns nos cães

  1. 02 Set 2015
  2. 438
Conheça as doenças mais comuns nos cães

Aqui vai um alerta para você que vive na companhia de um pet. Diabetes, Dirofilariose, problemas dentários, Otite externa, pulgas e carrapatos e parasitas internos são as doenças que mais afetam os animais de estimação, de acordo com um estudo feito nos Estados Unidos.

Para proteger seus animais destas ameaças, você precisa ficar bem atento aos sinais que tais doenças manifestam, para, sem perder tempo, buscar uma solução médica veterinária para combater o problema. Aqui seguem algumas dicas para afastar para bem longe alguns desses males.

Diabetes

Se é comum aparecerem formigas no local onde seu animal urina, este pode ser um sinal da existência do Diabetes, uma vez que isso indica a presença de glicose. 

Outros sinais são a urina excessiva; beber água e comer de forma exagerada; e perda de peso sem motivo aparente. A melhor prevenção é combater a obesidade, com uma alimentação balanceada e com a prática de exercícios diários, aquele bom e velho passeio.

Dirofilariose

Esta moléstia, também chamada de "doença do verme do coração", acontece por meio da picada de um mosquito contaminado pelas larvas da Dirofilaria immitis. A doença pode ficar sem manifestar sintomas por longos períodos da vida do animal, a não ser que a infestação seja muito grande, causando assim uma insuficiência cardíaca. Cansaço, tosse, cianose - mucosas azuladas - e edema pulmonar são alguns dos sinais da Dirofilariose.

Parasitas internos

São doenças que podem ser adquiridas a partir da ingestão de ovos de parasitas, que podem ocorrer quando o animal pisa em sujeiras de outros cães na rua e depois lambe as patas. Ou quando eles lambem diretamente sujeiras nas calçadas ou ainda quando ingerem água contaminada. O risco é mais alto nos locais de maior acesso e concentração dos animais.

Na prevenção, os animais deverão realizar o exame parasitológico de fezes a cada seis meses para detectar infestações de parasitas intestinais. 

O uso indiscriminado de parasiticidas é contraindicado, pois poderá gerar resistência parasitária. O tratamento correto deverá ser indicado pelo veterinário, levando em consideração o peso do animal.

Problemas dentários

A melhor forma de prevenção é fazer a profilaxia através da escovação diária dos dentes, com o uso de creme dental próprio para animais. O uso de biscoitos e ossos que ajudam a limpar os dentes também é valido, mas não substitui a escovação. A cada seis meses o animal deverá passar por uma consulta veterinária, quando o clínico vai examinar a cavidade oral e avaliar a necessidade ou não de uma limpeza.

Otite

É uma infecção no conduto auditivo, que pode ser causada por bactérias, fungos ou ácaros. Ela causa prurido, dor, vermelhidão, odor forte, produção exacerbada de cerúmen, que poderá estar com a coloração alterada. Cães com orelhas caídas e muito peludas são os mais afetados por este tipo de problema, sobretudo, durante o banho, momento em que os ouvidos do animal devem ficar muito bem protegidos. Depois do banho os ouvidos devem ser secos com algodão. Uma boa recomendação é fazer um exame de rotina a cada seis meses.

Deixe um Comentário

Curta nossa página

Posts Recentes