Blog

Cuidados com as doenças em pets que chegam com o frio

  1. 05 Jun 2019
  2. 1393
Cuidados com as doenças em pets que chegam com o frio

A temporada de frio que se avizinha, nos últimos dias já com uma boa mostra no Outono, requer muito cuidado com a saúde dos pets. Com os termômetros em baixa no Inverno que está prestes a chegar, o risco de proliferação de doenças respiratórias, sobretudo a gripe, torna-se uma ameaça no ar.

Uma das doenças que ganha terreno nos meses mais frios é a Tosse dos Canis, também chamada de gripe canina, síndrome respiratória complexa transmitida por vírus ou bactérias que pode afetar animais de todas as raças e idades.

Durante o outono e o inverno, quando o tempo fica mais frio e seco, o que dificulta a dispersão das partículas transmissoras da doença, a transmissão da Tosse dos Canis é facilitada. Somado a isso, está a queda da resistência imunológica dos cães, que tendem a ficar com as vias aéreas mais ressecadas e, portanto, desprotegidas.

Por ser altamente contagiosa, a doença exige alguns cuidados dos tutores, que devem redobrar a atenção com os sintomas dos seus peludos. Tosse seca, secreção, falta de apetite e febre são alguns dos sinais de alerta. Em casos mais graves, o pet pode também apresentar coriza e secreção nos olhos. Ao notar qualquer um desses sintomas, um veterinário deve ser consultado.

O diagnóstico pode ser feito por exames laboratoriais, que vão desde hemogramas de rotina até provas bioquímicas, ou mediante avaliação clínica do médico veterinário. A melhor receita para prevenir contra a doença é a vacinação.

Quando não tratada, a doença pode causar complicações, como pneumonias. Em casos muito raros, a Tosse dos Canis pode levar o animal a óbito. Além da vacina anual, alguns outros cuidados podem ser adotados para manter o seu cachorro longe dessa doença. 

Veja algumas dicas:

1- Evite passeios com o cão em horários mais frios;

2- Caso o cachorro fique na área externa da casa, providencie um abrigo que o proteja do vento, principalmente durante a noite;

3- Evite choques térmicos, como exposição do animal a temperaturas baixas após um banho quente, por exemplo;

4- Ao viajar com o seu cão ou sem ele (deixando-o hospedado em um hotel) procure antes o médico veterinário de sua confiança para que ele possa orientá-lo corretamente sobre a melhor prevenção para cada uma das situações;

Com informações da MSD Saúde Animal

Deixe um Comentário