Blog

Cuidados na chegada do pet a um novo lar

  1. 11 Jun 2019
  2. 364
Cuidados na chegada do pet a um novo lar

 

A chegada de um animal de estimação em um novo lar, com certeza, é um motivo de alegria para todos. A presença do novo morador, no entanto, nem sempre acontece de forma tranquila, pois uma série de aspectos estão em jogo. A lista inclui o convívio com os donos e os demais moradores da casa, o espaço para dormir, o lugar da alimentação, onde fazer as necessidades etc.

Além de vitais para desenvolver a relação de confiança, carinho e afeto com todos, os primeiros dias merecem uma atenção todo especial. A forma de tratamento dado ao pet vai ajudar muito na formatação do seu comportamento e personalidade.

O que fazer se ele chorar? Ou se recusar comida? Muitos animais se adaptam muito bem nos primeiros dias de convívio, porém outros podem ter bastante dificuldade nesse primeiro tempo. 

Se você é tutor de primeira viagem, veja algumas dicas importantes. Em primeiro lugar, você precisa saber que o animal tem que ter, pelo menos, 45 dias de vida. Este é o tempo que ele precisa para fazer o desmame, além da sociabilidade com os outros irmãos.

Ao levar o pet para casa, é importante lembrar que aquele é o primeiro contato do filhote com o mundo. Até o momento, tudo se resumia a mãe e os irmãos. Por isso é natural que tanto gatos quantos cachorros se sintam receosos ao chegarem ao seu novo lar.

Nas primeiras noites, você precisa arrumar um bom lugar para o pet tirar o seu sono, de preferência perto do dono. Nunca deixa o animal sozinho para evitar choros e futuros traumas. Isso pode dificultar, mais tarde, sua socialização com as pessoas da casa.

Hora da alimentação

É normal ficar preocupado com a alimentação do filhote. Porém, é preciso estar atento quanto à quantidade de ração. As medidas adequadas por peso do animal estarão na embalagem da mesma. Petiscos são bem-vindos, mas em porções comedidas.

Tantos os gatos quanto os cachorros têm uma necessidade de arranhar e de morder as coisas, o que é completamente natural. Então, a melhor saída é usar brinquedos específicos para evitar que eles destruam mesas, camas e poltronas, por exemplo..

Ponto importante, sobretudo nos primeiros dias, é não deixar o animal sozinho. Assim como crianças, deixá-lo sozinho por muito tempo pode fazer com que procure alguma distração, que pode ser aquele sapato que deixou perto da porta ou até o forro do sofá.

Manter o animal sem contato com o mundo pode ser bem prejudicial para a sua sociabilidade. Geralmente, os pets estão mais dispostos a serem sociais com outras pessoas e animais, a partir dos três meses. Tentar acostumá-lo com a rua e o carro também ajuda o pet a não ser tão medroso.

Deixe um Comentário