Blog

De olho na forma física do seu pet

  1. 16 Jul 2015
  2. 477
De olho na forma física do seu pet

Quem não gosta de ver um cachorro ou um gato bem forte, ou melhor, bem fofo? Todo mundo acha bonito, mas por traz de toda a fofura existe um problema sério que vem afetando muitos pets brasileiros: a obesidade, capaz de trazer uma série de doenças para o animal.

Por aqui, a estimativa é de que mais de 30% dos pets, ou seja, mais de 22 milhões cães e gatos, se levarmos em conta os últimos números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apontou a existência de cerca de 74 milhões de animais nos lares do país.

A obesidade já é um problema comum para muitos cães e gatos e suas consequências vão desde a intolerância para realizar uma atividade física até problemas cardiorrespiratórios, artrites e diabetes, além de doenças renais ou hepáticas.

Fatores que causam a obesidade

Embora muitos animais se alimentem de rações balanceadas, o número de animais obesos tem assustado especialistas da área de Medicina Veterinária. A obesidade pode ser causada por inúmeros fatores como predisposição da raça, desequilíbrios hormonais ou castração.

Mas o principal responsável é a ingestão de energia maior do que a necessidade do animal, provocando o armazenamento da energia em forma de gordura. Aliado a este fator, temos ainda como causas mais comuns da obesidade os excessos e o sedentarismo.

Algumas raças de cães, entretanto, têm mais predisposição à obesidade, como Dachshund, Beagle, Cocker Spaniel, Labrador, Collie, Golden Retriever, Rottweiller, Bernese Mountain Dog e São Bernardo.

O avanço da idade do animal também é um outro fator de risco. Segundo boa parte da literatura da Medicina Veterinária, a obesidade e o sobrepeso têm maior incidência em animais entre cinco e 11 anos de idade.

A castração também pode aumentar a taxa de incidência de obesidade, porém é um procedimento muito importante e que previne uma série de doenças e traz muitos benefícios e melhora a qualidade de vida dos animais em outros aspectos.

Parâmetros para a avaliação

A avaliação da obesidade não deve ser feita somente pelo peso. A questão também passa pelo perfil e porte físico das diversas raças de cães e gatos. O melhor método, de acordo com os especialistas, é fazer a medição do estado corporal do pet.

Isso é possível porque dessa forma se usa parâmetros técnicos para medir, por exemplo, o acúmulo de gordura na região da anca e costela do animal. Com isso, os dados são colocados numa escala de vai de um a cinco, ou seja, do muito magro para o muito gordo.

Soluções contra a obesidade

Com o crescimento da obesidade animal, as clínicas têm buscado inovar para ajudar a manter o pet em forma. Por exemplo, atividades como esteira, caminhada, hidroterapia, prática de esportes e brincadeiras, com o devido monitoramento do veterinário, são utilizadas.

Apesar das inúmeras atividades existentes, o tratamento para fazer o cão ou gato perder peso exige uma boa dose de envolvimento dos donos. Esta, de acordo com os especialistas, é uma das etapas do processo, junto com as atividades físicas, a mudança da dieta e a adoção de novos hábitos.

Deixe um Comentário

Curta nossa página

Posts Recentes