Blog

De olho no estado de espírito do seu pet

  1. 20 Ago 2020
  2. 595
De olho no estado de espírito do seu pet

Amor, carinho, amizade e companheirismo marcam um bom relacionamento por anos a fio entre pets e tutores. E nessa convivência, claro, também existe espaço para o estado de humor de ambos. Assim como os seres humanos, os animais de estimação, sobretudo os cães, também podem modificar o comportamento e temperamento de um dia para outro.

Então, como nada é imutável na vida, o tutor precisa ficar atento ao estado de humor, que pode ir da felicidade à agressividade, do seu pet para garantir uma convivência bem harmoniosa e amistosa.  

O tutor que conseguir entender o comportamento e expressões dos cachorros terá uma melhor interação com ele. Sem contar que esta compreensão do estado de espírito do animal ajuda e muito a identificar que algo não vai bem com o pet. Aí, então, é hora de correr atrás de uma ajuda do médico veterinário.

Assim como os seres humanos, os animais de estimação podem manifestar comportamentos e atitudes bem variadas ao longo do dia, da semana, do mês ou do tempo em que conviverem com os seus donos. Por exemplo, quando está feliz, o cão exibe uma expressão corporal mais relaxada.

Isto pode ser percebido pela posição da cauda e das orelhas, que ficam em posição neutra. Outro bom sinal é o movimento circular que ele faz com o rabo, além da boca aberta como quem sorrir para o tutor. Quando seu pet estiver neste clima, não perca tempo, pois este é o melhor momento para distribuir aquela dose de carinho.

Hora de brincar

Bem perto deste momento vivido pelos cães, está aquele que serve de estopim para uma boa brincadeira com os tutores. Na hora que o seu pet esticar as pernas traseiras, erguer o rabo e colocar o seu peso sobre os cotovelos, ele está na posição chamada de “reverência à brincadeira”. Aí ele costuma emitir pequenos latidos e dar pulos ao redor da pessoa. Então, aproveite esta hora para interagir com o animal, divertindo-se à vontade.

De um polo a outro, o animal também sinaliza situações vivenciadas de medo ou estresse. Corpo curvado, cauda encolhida para debaixo do corpo e orelhas para trás são sinais costumeiros de um cão que está com medo ou receio de alguma coisa.

Se estiverem muito nervosos, os cachorros, em determinadas situações, podem até mesmo babar, lamber os focinhos e evitar olhar diretamente nos olhos dos tutores. Neste momento, é bom evitar se aproximar do animal, pois você corre o risco de ser mordido. Nesta situação, procure deixá-lo sozinho até que relaxe e volte ao seu estado de espírito costumeiro.

Sinais de agressividade

Corpo projetado para a frente, músculos rígidos e dentes ameaçadores para intimidar são sinais manifestos, entre outros, de agressividade. Nesta hora, é bom evitar o contato, pois o animal pode morder você. Espere o nervosismo dele passar para voltar a interagir com ele.

Se você conseguir captar e entender o estado de espírito do animal, com certeza, terá uma convivência bem mais amigável com ele. Então, a melhor receita é ficar de olhos bem abertos no comportamento do seu pet, pois só assim você terá um companheiro fiel do seu lado o tempo todo.

Deixe um Comentário

X