Blog

Dias quentes exigem mais cuidados com os pets

  1. 03 Jan 2018
  2. 1874
Dias quentes exigem mais cuidados com os pets

Depois das festas de final de ano com os foguetórios, os donos de pet têm, agora, uma outra preocupação pela frente: enfrentar os dias quentes de calor que, no caso do Verão do Rio de Janeiro, podem atingir temperaturas de até 40 graus. Neste período, além do risco de contágio por parasitas como carrapatos, é preciso estar atento à hidratação de cães e gatos.

Por conta de não terem glândulas específicas para transpiração, esses animais são sensíveis ao calor. Nos cães é a respiração que controla o processo de refrigeração e manutenção da temperatura corporal. Eles transpiram pela língua e pelo nariz. Os gatos usam as lambidas no corpo para realizar este processo.

Com o calor intenso, os animais ficam mais sujeitos a terem problemas renais ou hipertemia. Respiração ofegante, salivação e tempo excessivo com a boca aberta são sinais de que o animal está sofrendo com o calor e com a desidratação decorrente dele. Filhotes e idosos tendem a desidratar mais facilmente. Água de coco e soro fisiológico contribuem para a hidratação do animal.

Os banhos no calor não devem ser intensificados, devido à possibilidade de aumento de contágio por parasitas e fungos, que se propagam com mais facilidade em altas temperaturas. A necessidade dos animais é de banhos semanais e é importante que eles sejam dados em água morna, já que a água fria pode ocasionar choque térmico

Cuidados também devem ser tomados durante os passeios. As patas dos animais são sensíveis e podem queimar ao tocar no chão quente. Além disso, a grande quantidade de pelos pode interferir no processo de respiração dos animais, se expostos ao calor intenso. O início da manhã e o final da tarde são os melhores horários para as caminhadas.

Deixe um Comentário

Curta nossa página

Posts Recentes