Blog

Saúde do pet: riscos à vista

  1. 26 Out 2018
  2. 381
Saúde do pet: riscos à vista

Se você pensa que ter um pet como companheiro é sempre tudo uma maravilha, então está na hora de rever os seus conceitos. Mais cedo ou mais tarde seu cão apronta uma arte, como, por exemplo, machucando uma pata, comendo algo que não podia ou brigando com outro animal. Além, claro, dos riscos de pegar alguma doença.

Essas "artes" ou doenças exigem dos tutores muita atenção com o animal, sobretudo, a saúde e o bem-estar dele. Um cuidado básico que não deve ser deixado de lado nunca é a vacinação. Então, nada de adiá-la, não deixando a carteira de vacinação do pet desatualizada. Olho também nos parasitas, como pulgas ou carrapatos.

Veja abaixo alguns pontos que exigem atenção máxima com pets.

Pulgas e carrapatos

Embora esses parasitas possam ser vistos a olho nu nos animais, muitas vezes o tutor só percebe a sua presença quando já se espalharam por todo o cão e seu entorno (casa, quintal e interior da casa). Isso porque tanto a pulga, como o carrapato, têm um longo ciclo de vida, e seus ovos e larvas podem viver um bom tempo no ambiente.

Alimentação desequilibrada

Um petisco aqui, outro ali… pode parecer inofensivo, mas quando menos se espera seu cão já está com uns quilinhos extras. A alimentação desregrada pode causar obesidade no animal, que com isso tem mais chances de desenvolver problemas cardiorrespiratórios, além de ter queda em sua qualidade de vida.

Saltos de lugares altos

É comum observarmos os cães pulando dos móveis da casa, principalmente quando filhotes. Um gesto que aparentemente é inofensivo, mas que com o tempo pode causar desgaste nas articulações do animal – principalmente quando ele tem o costume de saltar de móveis muito altos. Por isso, os tutores devem tentar adaptar escadas ou objetos que o auxiliem a subir e descer nos lugares onde o cão é mais ativo, prevenindo assim possíveis fraturas.

Vermes

É fundamental que o cão receba vermífugos com certa periodicidade – sempre seguindo as recomendações do seu médico veterinário. Normalmente o medicamento costuma ser administrado trimestralmente, mas pode variar de acordo com a idade e saúde do animal. O seu uso evita que lombrigas (vermes) causem danos à saúde do animal, que podem adquiri-las ao ter contato com outros animais ou ingerir algo contaminado.

Vírus e bactérias

A única maneira de combater vírus e bactérias nocivas à saúde do animal é mantendo a sua carteirinha de vacinação em dia. E lembre-se: é preciso respeitar as datas para o reforço das vacinas! Se isso não ocorrer, o cachorro fica exposto a diversos riscos que poderiam ser prevenidos pela vacinação.

Deixe um Comentário

Curta nossa página

Posts Recentes