Blog

A sempre dura tarefa de medicar os pets

  1. 14 Mar 2019
  2. 325
A sempre dura tarefa de medicar os pets

Ninguém, claro, quer que seu cão ou seu gato fique doente. Mas as doenças podem acontecer na vida de qualquer pet. Uma vez consultado e diagnosticado por um veterinário, o animal tem a cura nas mãos de seu tutor. Então, chega uma hora difícil para qualquer um: medicá-lo, uma tarefa que exige muita paciência e uma boa dose de criatividade para que tudo saia certo.

Dar algum medicamento via oral aos animais de estimação não é tarefa fácil, mas como se trata de recurso importante no controle de uma série de doenças, não há como escapar. Assim como as crianças, cães e gatos não costumam receber os remédios de livre e espontânea vontade. Claro, existem remédios em tabletes e pastas para facilitar a tarefa, mas a maior ainda está no formato líquido ou de comprimido.

Uma das formas mais usadas é esconder o remédio em um alimento que o animal costuma consumir. O tutor, neste caso, precisa observar bem para ver se o cão ou gato ingeriu o que precisava. Qualquer rejeição, substitua o alimento por outro que o pet também goste.

Gatos não se enganam

Esconder o medicamento em alimentos não funciona muito bem no caso dos gatos, pois eles são mais difíceis de serem enganados. A saída é usar remédios em formato de pastas ou líquidos.

Se a medicação for líquida, é possível usar uma seringa sem agulha com o conteúdo diretamente na boca do animal, próximo à garganta. No entanto, é bom lembrar que o animal nunca poderá estar deitado, para que não ocorra uma broncoaspiração, quando o remédio vai para os pulmões, levando à asfixia e até a morte.

Assim como nos seres humanos, automedicar animais de estimação não é nada recomendável. Alguns remédios afetam o sistema digestivo dos animais. Um exemplo é o analgésico Paracetamol, que causa lesão no fígado de cães e é fatal para gatos. Já os anti-inflamatórios, que têm como base o diclofenaco sódico, podem implicar em graves consequências gastrointestinais, desenvolvendo úlceras perfurantes de estômago e duodeno.
 

Deixe um Comentário