Blog

Dicas para a adoção de pets

  1. 22 Fev 2017
  2. 858
Dicas para a adoção de pets

Cuidar de um animal exige dedicação e responsabilidade. Por isso, a decisão de ter um cachorro em casa deve ser tomada com consciência de que essa será uma grande mudança na vida de toda a família. A felicidade inesgotável do rabo abanando quando você chegar em casa depois de um cansativo dia de trabalho, recompensará qualquer dor de cabeça com um sapato mordido ou um canteiro cheio de buraco. Quando menos esperar, já será louco por ele e tomará grande parte das suas decisões com base naquilo que for melhor para seu amigo.

Cães precisam de muitos cuidados. Dependem, por exemplo, de boas orientações e treino para que tenham uma relação sadia com outros animais e pessoas. Além de cuidados, atenção e carinho que demandam de seus donos, é preciso enfrentar as responsabilidades associadas à adoção. Quem adota um cão deve se preocupar com a alimentação adequada, a higiene, as vacinas periódicas, as idas ao veterinário e os custos resultantes disso.

Escolha consciente

A média de vida de um cão é de 12 a 15 anos. Os interessados em adotar um novo amigo, devem refletir sobre alguns pontos importantes antes da decisão final: Ter um animal em casa será uma mudança grande na vida de toda a família e, por isso, todos devem compartilhar da sua decisão. Todos da sua família concordam?

Seu estilo de vida também vai mudar. Os cães adoecem e precisam de cuidados, às vezes no meio da noite. Eles exigem gastos com alimento e veterinário e, ainda, as mãos do dono para limpar as sujeiras que deixam pelo caminho. Você está preparado para isso?

É importante estabelecer limites nessa relação como, por exemplo, definir horários para alimentação e brincadeiras. É fundamental que você dedique um tempo para passear com seu cachorro. Se você respondeu Sim a todas essas questões, é sinal de que está preparado para adotar um cão.

Que cachorro escolher?

Você decidiu adotar um cachorro, mas antes de decidir qual, considere alguns fatores como:

O tamanho da sua casa. Quanto menor o espaço, menor deve ser o cão. Se a casa é pequena e o cachorro grande, ele não se sentirá confortável e poderá ter problemas de adaptação.

A idade média das pessoas da sua família é importante na escolha do cachorro. Cães ativos querem espaço e atenção. Não é ideal, por exemplo, para fazer companhia a pessoas idosas.

Se você já tem outros animais em casa, eles devem aprender a aceitar seu novo amigo. Faça a apresentação de forma gradual e fique sempre atento na convivência dos primeiros dias, pois os animais não falam todos a “mesma língua”.

Filhotes exigem mais cuidados do que cães adultos. Ao adotar um deles, dedique mais atenção no processo de educação dele. Deixe bem claro o que é e o que não é permitido fazer.

Ao contrário do que muitos pensam, cães adultos também aprendem e se adaptam a novos lares. Eles, geralmente, demandam menos esforços. Cães velhinhos são companhias mais tranquilas e acolhedoras e também merecem viver felizes os últimos anos de vida.

Está na dúvida se leva um cachorro macho ou uma fêmea? Os machos, geralmente, são mais dominantes e confiantes. As fêmeas, mais afetivas e caseiras.

As características do cão exigem cuidadosa consideração antes de sua decisão final, para assegurar que viver juntos seja uma experiência gratificante e duradoura para você e seu novo amigo.

Um novo companheiro

Ter um cachorro é uma experiência única. Amor e fidelidade são apenas uma pequena parte dessa grande aventura.

Os cães, de raça ou não, são grandes companheiros, fiéis, amorosos e muito sociáveis. Gostam de gente, de rua, de correr e de se divertir.

Para eles, tudo é motivo de brincadeira. Este novo membro da família exigirá atenção, companhia nas brincadeiras, carinho e paciência. E retribuirá tudo isso muito bem, lhe dando 100 % de amor e amizade incondicional. Você verá que ter um cão adotado em casa é uma experiência excepcional!

Adotando um cão de um abrigo você não só salva uma vida, mas também dá a oportunidade para outro cachorro ser retirado da rua.

Além disso, abrir seu coração para um cão abandonado, invariavelmente, resulta em uma relação muito forte e especial entre cão e dono. Uma relação que vai além de lealdade, afeição, e da companhia de um cachorro feliz por toda a vida.

Fonte: OPAR – Organização Para Proteção de Animais de Rua

Deixe um Comentário

Curta nossa página

Posts Recentes