Blog

Sempre de olho nos inimigos dos pets

  1. 08 Abr 2020
  2. 638
Sempre de olho nos inimigos dos pets

Umidade e temperaturas elevadas. Essa combinação é o ambiente ideal para a proliferação de parasitas, sobretudo, no verão, mas os cuidados são necessários o tempo todo. Pulgas, carrapatos e mosquitos não perdem a oportunidade de agir em qualquer época, colocando a saúde dos pets em risco.

Tais parasitas ameaçam até mesmo os cães que vivem dentro de casa, por isso a atenção não pode ficar em segundo plano. Sintomas como coceira, machucados na pele, dermatite alérgica, inquietação, emagrecimento, falta de apetite são sintomas que os tutores devem ficar com o sinal de alerta ligado.

Além de anemia, pulgas podem transmitir o Dipylidium caninum, verme que acomete os cães, gerando grande desconforto intestinal. Eles são transmitidos pela ingestão de pulgas adultas infectadas, que acontece acidentalmente quando o cão se coça.

Já os carrapatos são transmissores de doenças como a babesiose, que infecta os glóbulos vermelhos levando à anemia, febre, prostração; e a erliquiose, que também é conhecida como doença do carrapato, que provoca falta de apetite, febre, emagrecimento, hemorragias, depressão do sistema imunológico, além da doença de Lyme.

A picada do mosquito, por sua vez, provoca a Leishmaniose Visceral, que atinge uma série de órgãos do cachorro, como baço e fígado, além da pele, por exemplo.

A transmissão ocorre quando a fêmea do “mosquito” já infectada pica um animal saudável para se alimentar. Com isso, ela transmite a doença para os animais saudáveis. Os sintomas nem sempre aparecem logo, podendo levar até três meses para se manifestar.

Deixe um Comentário

X